Blog

Energiplast 2022: o que foi destaque no evento

O evento aconteceu em formato híbrido – Créditos: Mathias Cramer

Na edição, que acontece em formato híbrido, o tema em debate é “As novas tecnologias que impulsionam a economia circular”.

Para iniciar, o Coordenador do evento, Luiz Henrique Hartmann deu as boas vindas aos convidados e ressaltou que “o plástico impulsiona a economia circular”.

Já o Presidente do Sindicato, Gerson Haas, complementou a fala de Hartmann ao dizer que “o plástico é fundamental para o crescimento da economia no Brasil”.

O Presidente do Sinplast-RS, Gerson Haas, recebeu os convidados na abertura do evento. Créditos: Mathias Cramer

Finalizando este momento, o Executivo do Conselho de Meio Ambiente – CODEMA – da FIERGS, Tiago José Pereira Neto, apresentou dados relacionados ao tema, destacando que “até 2030, a economia circular pode gerar 4,5 trilhões de dólares em recursos”.

Painel Economia Circular

No painel “Economia Circular”, que abriu o 12º Energiplast, 6 palestras foram apresentadas.

Fabiana Quiroga, Diretora de Negócios de Economia Circular da Braskem e Presidente do Conselho Diretivo do Plastivida apresentou projetos em educação da Braskem, focados na economia circular, ressaltando a importância das parcerias entre diferentes associações e a promoção de engajamento governamental, de negócios e de toda a sociedade.

Dando seguimento, a Promotora de Justiça do Rio Grande do Sul, Annelise Monteiro Steigleder, falou a partir de panoramas gerais, sobre Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e Política Nacional de Resíduos Sólidos e finalizou dizendo que “não há legislação que imponha metas de regulação da economia circular pois ainda se baseia em vantagens relacionadas ao mercado”.

Amarildo Bazan, Consultor e Diretor da Abazan Consultoria, com ampla experiência no setor de resinas termoplásticas, apresentou a palestra “Economia circular na visão do setor plástico”, onde enfatizou que o problema do lixo é o ser humano e a falta de descarte correto.

André Felipe Fraga, apresentou a palestra “Rastreabilidade dos materiais para logística reversa – contexto e case Rock in Rio”, mostrando o sistema de logística reversa que foi responsável pela rastreabilidade dos materiais coletados na Cidade do Rock em 2022.

Paula Pariz, coordenadora de projetos setoriais da Abiplast, apresentou a palestra “Sistema de Circularidade do Plástico”, que fala em Gestão da Informação, Inclusão da Indústria e Comprovação e criação de indicador de circularidade.

Finalizando a programação da manhã, o engenheiro de materiais, Manoel Lisboa, apresentou a palestra “Fluxo Complexo completo de uma MRF”. Em sua fala, Lisboa apresentou um modelo de negócios da Citymining, que, apesar dos altos investimentos, possibilita a geração de emprego direto, além do alto rendimento.

A Promotora de Justiça do Rio Grande do Sul, Annelise Monteiro Steigleder e o Coordenador do Energiplast, Luiz Henrique Hartmann, durante o Painel Economia Circular. Créditos: Mathias Cramer

Painel Separação Automatizada e Reciclagem

Abrindo a programação da tarde, o Coordenador do Energiplast, Luiz Henrique Hartmann, apresentou a palestra “Sistemas de lavagem de plástico”. Em sua fala, Hartmann apresentou o case da Lindner Washtech, empresa global especialista em sistemas inovadores de lavagem e processamento de resíduos plásticos.

Fernando Paixão, diretor de projetos na Wefem Extrusoras, apresentou a empresa, que oferece máquinas e equipamentos para reaproveitamento de materiais e resíduos plásticos. As máquinas produzidas pela empresa trabalham com soluções completas para melhorar resultados e diminuir custos de manutenção.

Daniel Ghiringhello, diretor da Tomra Brasil, falou sobre as Megatrends para os próximos anos na palestra “Separação automatizada e reciclagem de materiais”. Ghiringhello apontou as mudanças climáticas e escassez de recursos, mudanças demográficas e sociais, quebra de paradigmas tecnológicos e rápida urbanização como as tendências futuras e apresentou tecnologias para repensar como obtemos, usamos e reutilizamos recursos naturais.

Ana Bárbara Maldaner, da área de economia circular da Braskem trouxe mais informações do Case Braskem, dando sequencia ao material apresentado pela manhã, por Fabiana Quiroga. Maldaner apresentou as ferramentas e programas utilizados pela empresa para combater as mudanças climáticas e o desperdício de plástico, transformando a economia linear em economia circular de carbono neutro, além de apresentar o Portfolio Global da Braskem.

Finalizando o Painel “Separação Automatizada e Reciclagem”, primeiro da tarde, Moisés Weber, CEO da Plastiweber Circular Plastics, trouxe o “Case Plastiweber: filme 100% PCR para embalagens de alto desempenho”. Weber apresentou uma linha do tempo da história da empresa e como a Plastiweber se consolidou no mercado como marca pioneira no Brasil na produção de embalagens e polímeros circulares de alta performance.


Painel Tecnologias de Geração de Energias Renováveis

Ulisses da Silva, Vice-Presidente de Operações da Syrus Holdings, distribuidor líder de polímeros e especialidades, abriu o painel “Tecnologias de Geração de Energias Renováveis” falando sobre processos de reciclagem avançada e automação para reciclagem. Da Silva ressaltou que a organização das cooperativas e do Sindicato são extremamente necessárias.

Na palestra “Indústria do Cimento: Panorama de Coprocessamento”, Daniel Mattos, diretor de coprocessamento na Associação Brasileira de Cimento Portland – ABCP, apresentou o panorama da indústria do cimento no Brasil, além da agenda climática. Mattos apresentou um dado que chamou atenção: em escala global, a indústria do cimento no representa apenas 7% das emissões totais de CO² produzidas pelo homem.

Andressa Schumacher, supervisora operacional na Biotérmica Energia, apresentou a empresa, que é a primeira termelétrica a biogás de aterro sanitário, no Rio Grande do Sul. A usina gera, em média, 8.55 MWh, tendo potencial para atingir 15 MWh de energia limpa a partir do resíduo doméstico depositado no aterro sanitário da cidade de Minas do Leão.

Finalizando o terceiro painel e o evento, Celso Senna, empresário do Setor de Energia Solar Fotovoltaica, apresentou o tema, trazendo um panorama nacional de dados da indústria que cresceu exponencialmente a partir de 2012. O setor já gerou mais de 559,6 mil novos empregos e evitou mais de 27,3 milhões de toneladas de CO².


O 12º Energiplast contou com o patrocínio da Polo Films, Plastiweber Circular Plastics e Fitesa e apoio da Fiergs, Abiplast, Instituto SustenPlást e Revista Plástico Sul.

Perdeu o evento ou quer rever algum conteúdo? Acesse o Youtube.